A Cirurgia Plástica e as Redes Sociais

Atualizado: 22 de mai.

Hoje quero me dirigir aos jovens cirurgiões plásticos que estão começando suas carreiras em consultórios e hospitais. Assustados, eles enfrentam um novo meio de divulgação da especialidade: as mídias sociais. Nestas mídias, maioria das divulgações não são corretas pois prometem resultados milagrosos por preços muito mais abaixo do que um cirurgião plástico bem formado pode oferecer.

Esta nova arma de divulgação parece ser tão eficaz quanto perigosa. Trata-se porém, de um meio de divulgação incontestável e definitivo.


O que fazer então? Como proceder?


Em primeiro lugar, acho que o jovem cirurgião plástico deva participar dela, mas com honestidade e ética. Para tanto, hoje ele conta com a colaboração e orientação da SBCP.


A diretoria da Dra. Lydia Masako, atenta a este problema , criou órgão específico para este fim, sob o comando do Dr. Alexandre Piassi: o Departamento de Mídias Digitais. Este novo departamento se propõe a orientar o cirurgião plástico para que este tipo de divulgação, com a indispensável segurança jurídica. E mais importante: ele também se destina a informar ao leigo (pacientes) como proceder para realizar uma cirurgia segura.


Ao paciente, alguns pontos fundamentais devem ser esclarecidos:

- Os baixos preços oferecidos por médicos não qualificados, só serão possíveis se os procedimentos forem realizados em locais inadequados e improvisados e sem equipe médica qualificada.


- Não se pode operar em mesas de curativos ou em cadeiras de dentista. - Cirurgias tem que ser realizadas em hospitais qualificados e nestes os médicos arrivistas não podem realizar nossos procedimentos.

Vamos utilizar este novo canal oferecido pela SBCP.




235 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo